GEMLAB - Gemologia e Engenharia Mineral

Serviços

Diamantes e gemas de cor respaldados por certificados de autenticidade e qualidade conferem credibilidade às transações comerciais e segurança às partes envolvidas.

Os principais serviços oferecidos pelo Gem Lab são:

- Identificação de Material Gemológico.
- Certificação de gemas de cor, em conformidade com as normas técnicas brasileiras e estrangeiras, com fotomicrografia digitalizada (opcional).
- Certificação de diamantes, em conformidade com as normas técnicas brasileiras e estrangeiras, com fotomicrografia digitalizada (opcional).
- Graduação de diamantes lapidados, segundo o sistema dos "4 C s".
- Emissão de laudos e pareceres técnicos.
- Classificação e avaliação de gemas e caracterização e avaliação de jóias.
- Consultoria.

Cursos de Gemologia e Diamantes, Teóricos e Práticos
- Desenvolvimento de projetos de pesquisa mineral.

 

Identificação de Material Gemológico

Consiste na determinação de sua natureza, ou seja, da espécie e variedade mineral de uso gemológico as quais pertence. Este serviço é requisitado nos casos em que o cliente não necessita de um documento escrito, sendo os ensaios realizados prontamente, a sua vista, e o resultado comunicado lhe verbalmente.

Certificado de Identificação (Autenticidade)

Documento escrito, emitido por uma autoridade independente (laboratório gemológico ou gemólogo autônomo), que identifica e atesta a autenticidade de uma única gema de cor solta, determinando sua espécie e variedade mineral de uso gemológico.

Este documento contêm:

Dados Cadastrais

  • Nome e CNPJ do laboratório emitente e/ou nome, número de registro no conselho de classe, inscrição municipal, titulação e assinatura do gemólogo autônomo (responsável técnico).
  • Número ou nome do solicitante.
  • Número de registro do certificado.
  • Data.

Características da Gema

  • Cor.
  • Estilo e forma de lapidação (p/ gema lapidada) ou menção do estado (p/ gema bruta).
  • Peso, expresso em quilates métricos (ct), obtido através de uma balança eletrônica pré-calibrada, com precisão de duas casas decimais (centésimo de quilate).
  • Dimensões, expressas em milímetros (mm), obtidas com auxílio de calibre Leveridge, com precisão de duas casas decimais (centésimo de milímetro).

Procedimentos e ensaios

  • Macroscopia: transparência(diafaneidade), brilho(*), fratura(*), clivagem(*), traço(*) e dureza(Mohs)(*).
  • Densitometria: peso específico.
  • Refratometria: índice(s) de refração; birrefringência; Caráter e sinal ópticos.
  • Dicroscopia: pleocroísmo (intensidade e matizes ou tons).
  • Espectroscopia: espectro de absorção na região da luz visível.
  • Absorção seletiva: reação aos filtros de luz especiais (*).
  • Fluoroscopia: fluorescência à luz ultravioleta de ondas longas e curtas: matiz(es) e intensidade.
  • Microscopia: inclusões, estruturas e características externas, mencionando seu caráter diagnóstico, se for o caso.

Fotomicrografia ou fotografia digitalizada (*)
Comentários
Descrição dos instrumentos empregados, revelação dos eventuais tratamentos detectados durante as análises, menção das restrições legais do documento e da norma técnica utilizada para sua elaboração.
Conclusão
Identificação da gema: espécie e variedade mineral de uso gemológico.

(*) Procedimento ou ensaio não-obrigatório.

Certificado de Classificação (Graduação) de Diamante Lapidado

Documento escrito, emitido por uma autoridade independente (laboratório gemológico ou gemólogo autônomo), que identifica e atesta a qualidade de um diamante lapidado solto. Este documento permite ao perito avaliador estabelecer o valor do diamante à época da sua certificação.

O Certificado de Classificação (Graduação) de Diamante é elaborado utilizando o sistema de graduação desenvolvido pelo Gemological Institute of America (GIA), conhecido como "4 C s" (Clarity, Color, Cut e Carat), o de mais ampla aceitação no mercado internacional de diamantes. Estes 4 termos em inglês equivalem, respectivamente, a pureza, cor, lapidação e quilate métrico (peso).

Este documento contem:


Dados Cadastrais:

Nome e CNPJ do laboratório emitente e/ou nome, número de registro no conselho de classe, inscrição municipal, titulação e assinatura do gemólogo autônomo (responsável técnico).
Número ou nome do solicitante. 
Número de registro do certificado. 
Data.

Características do Diamante, Procedimentos e Ensaios:
 
Estilo e forma de lapidação. 
Peso, expresso em quilates métricos(ct), obtido através de uma balança eletrônica pré-calibrada, com precisão de duas casas decimais (centésimo de quilate).
Dimensões, expressas em milímetros(mm), obtidas através de um micrômetro, com precisão de duas casas decimais (centésimo de milímetro).
Grau de pureza.
Grau de cor. 
Qualidade da lapidação (proporções, simetria e polimento). 
Fluoroscopia: fluorescência à luz ultravioleta de ondas longas(matiz, intensidade)

Diagrama das inclusões:
Legenda (simbologia).
Fotomicrografia a 10 aumentos (opcional).
Comentários

Descrição dos instrumentos utilizados; revelação de alguns tipos de tratamentos detectáveis durante as análises (ex: perfurações à laser); menções das restrições legais do documento, da norma técnica utilizada para sua elaboração e da terminologia de graduação com a equivalência entre os principais sistemas de classificação; descrição das características não mencionadas nos registros acima, tais como presença de naturais ou facetas extras, graining, etc.


Peso

A unidade de peso utilizada para o diamante é o quilate(ct), que corresponde ao quinto do grama (0,2g) e deve ser expresso com duas decimais. O quilate tem como submúltiplo o ponto(pt), que equivale a 0,01ct. Desse modo, 100 pontos equivalem a 1 quilate. Este termo, de origem grega, possui a abreviatura ct, do inglês carat.


Pureza

A classificação de pureza de um diamante lapidado é realizada por um profissional competente, considerando o número, tamanho, localização, cor e natureza de suas inclusões, sob as condições determinadas pela norma especificada no documento.
A seguir, encontram-se as escalas de graduação de pureza, de acordo com as terminologias adotadas por ABNT-IBGM, CIBJO-HRD e GIA:

ABNT - IBGM

CIBJO - HRD

GIA

Interna e externamente puro ao exame com equipamento ótico a 10 aumentos.

 

LC

 

FL (Flawless)

Absolutamente transparente e livre de qualquer inclusão ao exame com equipamento ótico a 10 aumentos.

(Loupe Clean ou Puro à Lupa)

 

IF (Internally Flawless)

Inclusão ou inclusões pequeníssimas e muito díficeis de serem visualizadas ao exame com equipamento ótico a 10 aumentos.

 

VVS1 / VVS2
[Very Very Small Inclusion (s)]

 

VVS1 / VVS2
[Very Very Small Inclusion (s)]

Inclusões muito pequenas e díficeis de serem visualizadas ao exame com equipamento ótico a 10 aumentos.

 

VS1 / VS2
[Very Small Inclusion(s)]

 

VS1 / VS2
[Very Small Inclusion(s)]

Inclusões pequenas fáceis de serem visualizadas ao exame com equipamento ótico a 10 aumentos e, geralmente, não visíveis a olho nu, através da coroa

 

SI1 / SI2
[Small Inclusion(s)]

 

SI1 / SI2
[Small Inclusion(s)]

Inclusões evidentes ao exame com equipamento ótico a 10 aumentos e difíceis de serem visualizadas a olho nu, através da coroa, não diminuindo a transparência do diamante

 

P1
Piqué 1

 

I1

Uma inclusão grande e/ou algumas inclusões menores, fáceis de serem visualizadas a olho nu através da coroa, diminuindo um pouco a transparência do diamante.

 

P2
Piqué 2

 

I2

Uma inclusão grande e/ou numerosas inclusões menores, muito fáceis de serem visualizadas a olho nu através da coroa, diminuindo sensivelmente a transparência do diamante

 

P3
Piqué 3

 

I3

 

Nota: As subdivisões encontradas em algumas das categorias da  tabela acima são definidas em função do número, posição, tamanho, cor, forma e natureza das inclusões


ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas
IBGM Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos
CIBJO International Confederation of Jewellery, Silverware, Diamonds, Pearls and Gemstones
HRD Hoge Raad Voor Diamant (Diamond High Council)
GIA Gemological Institute of America

Cor

A cor da maior parte dos diamantes de qualidade gemológica varia de incolor a amarela e sua classificação indica a presença ou, mais frequentemente, a ausência de cor. Esta é efetuada por um técnico especializado, mediante comparação com um jogo de pedras padrão, geralmente obtidos por equivalência direta de padrões originais elaborados pelas instituições HRD, CIBJO ou GIA, sob iluminação artificial padronizada, utilizando lupa aplanática e acromática de dez aumentos ou microscópio gemológico com igual magnitude.
A seguir, encontram-se as escalas de graduação de cor, de acordo com as terminologias adotadas por ABNT-IBGM, CIBJO-HRD e GIA: 

 

ABNT-IBGM

CIBJO - HRD

GIA

 

Excepcionalmente incolor extra

 

 

Exceptional white +

 

D

 

Excepcionalmente incolor

 

 

Exceptional white

 

E

 

Perfeitamente incolor

 

 

Rare white +

 

F

 

Nitidamente incolor

 

 

Rare white

 

G

 

Incolor

 

 

White

 

H

 

Cor levemente perceptível

 

 

 

Slightly tinted white

 

I

 

Cor perceptível

 

 

 

J

 

Cor levemente visível

 

 

Tinted white

 

K

 

Cor visível

 

 

L

 

Cor levemente acentuada

 

Tinted colour (*)

 

M

 

Cor acentuada

 

N a Z

 

Cor incomum ou extraordinária

 

Fancy colour

 

Z +

 

*  Subdivisão opcional: Tinted colour 1, 2, 3, 4  


Obs: Os termos branco extra(ou cor extra) e branco comercial, ainda utilizados pela indústria joalheira, devem ser substituídos pelas letras D e I, respectivamente, ou pelos termos da ABNT-IBGM e CIBJO-HRD correspondentes. A designação champagne refere-se aos diamantes de cor amarela de fantasia ou Z+.
Os diamantes podem ocorrer em todas as cores, sendo que aqueles de cores intensas, denominados fantasia (fancy), possuem uma escala de graduação de cor própria.

Lapidação

A qualidade da lapidação é, dentre os “4 C s”, o parâmetro que mais profundamente influi no aspecto estético do diamante. A lapidação classifica-se, quanto à qualidade, em muito boa, boa, média ou incomum.
Os fatores a serem julgados e/ou mensurados quanto à lapidação são as proporções, a simetria(grau de exatidão da forma e colocação das facetas) e o polimento (condição da superfície do diamante).


Graduação de diamantes lapidados, segundo o sistema dos “4 C s”

A caracterização, os procedimentos e ensaios realizados para fins de elaboração do “Certificado de Classificação de Diamante” podem igualmente ser efetuados sem a emissão de um documento escrito, sendo o resultado comunicado verbalmente ao solicitante. A graduação de diamantes segundo o sistema dos “4 C s” consiste em sua classificação quanto à cor, pureza, lapidação e peso.


Emissão de Laudos e Pareceres Técnicos

Estes documentos destinam-se, principalmente, a identificar e/ou caracterizar e/ou classificar peças de joalheria e gemas cravadas e contêm:
Dados Cadastrais 

  • Nome e CNPJ do laboratório emitente e/ou nome, número de registro no conselho de classe, inscrição municipal, titulação e assinatura do gemólogo autônomo (responsável técnico). 
  • Número ou nome do solicitante. 
  • Número de registro do laudo ou parecer técnico. 
  • Data.

Características da Peça de Joalheria e das Gemas:

  • Descrição da peça.
  • Número de pedras constantes na peça.
  • Peso total da peça de joalheria.
  • Peso estimado da liga metálica
  • Identificação das gemas.
  • Peso total estimado das gemas.
  • Peso total estimado por tipo de gema.
  • Pesos individuais estimados das gemas com pesos superiores a 0,50 ct.
  • Dimensões estimadas das gemas com pesos iguais ou superiores a 0,50 ct.
  • Graduação de diamantes acima de 0,50ct.

Fotografia ou fotomicrografia (opcional).

Comentários
Descrições da metodologia(procedimentos e ensaios), instrumentos utilizados; menção de eventuais danos, falta de pedras ou quaisquer outras referências a reparos a serem feitos nas peças; revelação de alguns tipos de tratamentos detectáveis durante as análises; menções das restrições legais do documento, das normas técnicas utilizadas para sua elaboração, das restrições quanto à precisão das estimativas de peso e qualificação das gemas cravadas e, no caso de peças com diamantes, da terminologia de graduação com a equivalência entre os principais sistemas de classificação.

Obs: Emite-se, igualmente, laudos e pareceres técnicos para lotes de gemas soltas.


Consultoria

O Gem Lab presta consultoria verbal em assuntos relacionados à gemologia, tais como escolha, aquisição e utilização de instrumentos gemológicos; estudo de viabilidade de relapidação de diamantes (danificados, com cortes antigos ou proporções incomuns), para fins de melhoria da qualidade e consequente valorização. Nestes casos, faz-se uma estimativa da classificação e cálculo do peso após a relapidação.

Classificação e avaliação de Gemas e Caracterização e Avaliação de Jóias

Realizamos classificações de gemas segundo a cor, pureza, peso, tipo e qualidade da lapidação, seguida de avaliação monetária, de acordo com os diversos segmentos de mercado. A finalidade desses serviços é muito diversificada, sendo mais frequentes as destinadas às avaliações de patrimônio, espólios, inventários, heranças, tstamentos, litígios judiciais, revendas, reposições, liquidações, doações e seguros. Ao se realizar tais avaliações, considera-se, entre outros, o segmento de mercado mais indicado para a finalidade pretendida, a natureza dos materiais utilizados, o tipo e a qualidade da mão-de-obra empregada, o grau de conservação da peça no momento da avaliação e os aspectos relativos à moda.
Não avaliamos relógios e jóias de autor (designer), que envolveriam o julgamento de trabalho artístico, que foge à nossa competência.

Cursos de Gemologia e Diamantes, Teóricos e Práticos

Desenvolvimento de Projetos de Pesquisa Mineral

O Gem Lab instrui Requerimentos de Autorização de Pesquisa, Licenciamento e Permissão de Lavra Garimpeira de substâncias minerais junto ao orgão competente, o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM / MME).

Prestamos assessoria para verificação de disponibilidade de áreas para registro de pedido de pesquisa e elaboramos Plantas de Situação das áreas pleiteadas e planos de trabalhos de pesquisa.